josé rufino obras selecionadas biografia cronologia bibliografia eventos projetos e processos ateliê contato
selected works biography chronology bibliography events projects and processes studio contact

José Rufino vive e trabalha em João Pessoa. Desenvolveu sua jornada artística passando da poesia para a poesia-visual e, em seguida, para a arte-postal e desenhos, nos anos 80. O universo do declínio das plantações de cana-de-açúcar no Brasil conduziu seu trabalho inicial em desenhos e instalações com mobiliário e documentos de família e institucionais. Filho de ativistas políticos presos pela ditadura do regime militar brasileiro nos anos 60, o artista é também muito conhecido pelos seus impressionantes trabalhos de caráter político. Ultimamente, tem realizado incursões na linguagem cinematográfica e desenvolve cada vez mais um trabalho misto de monotipias/móveis/objetos e instalações. O diálogo dicotômico entre memória e esquecimento contamina seu trabalho por completo.

Em 2012 exposição individual na Casa França Brasil/Rio de Janeiro com obra Ulysses, participação na SP-Arte, Divortium Aquarum na Sala A Contemporânea, no CCBB/Rio de Janeiro; Em 2011, expôs a obra 28.01.79 no 12º Festival de Areia, em Areia-PB; e Divortium Aquarum, como artista convidado do Prêmio Energisa de Artes visuais, em João Pessoa-PB; Em 2010, expôs Aenigma na Galeria Milan em São Paulo; Blots & Figments, no Museu Andy Warhol, em Pittsburgh, EUA; e Faustus, no Palácio da Aclamação, em Salvador. Participou da 25ª Bienal Internacional de São Paulo e de exposições coletivas como Caminhos do Contemporâneo, no Paço Imperial (Rio de Janeiro), ambas em 2002; da ARCO – Feira Internacional de Arte Contemporânea, em Madri, Espanha, em 2001; e de L’Art dans le Monde, no Pont Alexandre III, Paris, em 2000. Realizou exposições individuais na galeria Virgílio em São Paulo, no ano de 2008; na Galeria Amparo 60 e no Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Niterói, em 2005; no Museu Vale, Vila Velha – ES, em 2003; na Adriana Penteado Arte Contemporânea, São Paulo, em 1998; e no Espaço Cultural Sérgio Porto, Rio de Janeiro, em 1996. As investigações mais recentes do artista tratam da falência irreversível do corpo e das memórias.

.

Principais Exposições Individuais

2013
Violatio. Mube – Museu Brasileiro da Escultura. São Paulo.

2012
Ulysses. Casa França Brasil. Rio de Janeiro.
Divortium Aquarum na Sala A Contemporânea. CCBB/Rio de Janeiro.

2011
28.01.79. 12º Festival de Areia, Areia, PB.
Divortium Aquarum. Prêmio Energisa de Artes Visuais – Usina Cultural. João Pessoa.

2010
Aenigma. Galeria Millan, São Paulo.
Nausea. Ministério da Cultura – Sala Nordeste. Recife. Curadoria: Marcelo Campos.
José Rufino: Blots & Figments. The Andy Warhol Museum. Pittsburgh, Estados Unidos. Curadoria: Jessica Gogan.
Faustus. Palácio da Aclamação. Salvador. Curadoria: Marcelo Campos.
Silentio. Galeria de Arte Contemporânea Casarão. Viana, Espírito Santo. Curadoria: Neusa Mendes.

2008
Nausea (segunda versão). Centro Cultural Banco do Nordeste. Fortaleza. Curadoria: Marcelo Campos.
Quimeras. Galeria Virgílio, São Paulo. Curadoria: Adolfo Montejo Navas.
Nausea. Centro Cultural Banco do Nordeste. Sousa, Paraíba. Curadoria: Marcelo Campos.

2006
Plasmatio. Programa Copa da Cultura. Embaixada do Brasil. Berlim, Alemanha. Curadoria: Luiz Camillo Osório.

2005
Incertae Sedis. Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Niterói. Curadoria: Claudia Saldanha e Luiz Guilherme Vergara.
Axioma. Galeria Amparo 60. Recife.

2004
Museu Oscar Niemeyer. Curitiba. Curadoria: Moacir dos Anjos.

2003
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães. Recife. Curadoria: Moacir dos Anjos.

2002
Memento Mori. Espaço Cultural Sérgio Porto. Rio de Janeiro. Curadoria: Moacir dos Anjos.
Obliteratio. Centro Cultural São Francisco. João Pessoa.

2001
Murmuratio. Museu Ferroviário. Vila Velha, Espírito Santo. Curadoria: Luiz Camillo Osório.
Casa da Ribeira, Sala Petrobrás, Natal. Curadoria: Gustavo Wanderley.

1999
Cartas de Areia. Museu do Brejo Paraibano. Areia, Paraíba.

1998
Obliteratio. Galeria Ruben Valentin, Espaço Cultural 508 Sul. Brasília.
Cartas de Areia. Adriana Penteado Arte Contemporânea. São Paulo.

1997
Núcleo de Arte Contemporânea, Projeto Conexão 4. João Pessoa. Organização: Gabriel Bechara.
Galeria Vicente do Rego Monteiro, Fundação Joaquim Nabuco. Recife.

1996
Lacrymatio. Espaço Cultural Sérgio Porto. Rio de Janeiro. Curadoria: Cláudia Saldanha.

1995
Respiratio. Galeria Archidy Picado. Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo. João Pessoa.
Respiratio. Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco. Olinda.

1994
Fotografias. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente. Cabedelo, Paraíba.

1992
Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo. Pavilhão da Bienal. São Paulo.

1990
Infinitamente. Núcleo de Arte Contemporânea. João Pessoa.


Principais Exposições Coletivas

2014
ArtRio. Feira Internacional de Arte. Representado pela Galeria Amarelonegro, Rio de Janeiro.
3ª Bienal da Bahia. É Tudo Nordeste? Arquivo Público do Estado da Bahia – Salvador – BA. Curadoria: Ana Pato.
Grande Área 2014. Museu Cais do Sertão. Recife – PE. Curadoria: Xico Chaves e Luísa Interlenghi.
Entrecopas. Arte brasileira 1950 – 2014. Museu Nacional do Conjunto Cultural da República – DF. Curadoria: Wagner Barja.
Água mole, pedra dura. Bienal do Barro. Caruaru – PE. Curadoria: Raphael Fonseca
Cães Sem Plumas. Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães – MAM. Recife. Curadoria: Moacir dos Anjos.
Re-existência da Arte e Política 1964- 2014. Mac Niterói – RJ. Curadoria: Luiz Guilherme Vergara.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Stands Galeria Carbono e Amarelonegro.
Experimentando Espaços 2. Museu da Casa Brasileira. São Paulo. Curadoria: Agnaldo Farias.
Exposição Formatos. Centro Cultural da UFMG, Minas Gerais. Curadoria: Maikon Rangel.
Estudos, esboços e ensaios poéticos sobre arquitetura e territórios afins. Galeria Carbono, São Paulo. Curadoria: Agnaldo Farias.
Cartografia: Da Cartografia do poder aos itinerários do saber. Oca do Ibirapuera, São Paulo. Curadoria: Emanoel Araújo Bernaschina e Catarina Pires.
Duplo Olhar: Um recorte da coleção de Sérgio Carvalho. Paço das Artes, São Paulo. Curadoria: Denise Mattar.

2013
II Encontro das Águas. Jardim Botânico de Brasília. Curadoria: Bené Fonteles.
Tardius I e III. XVII Unifor Plástica. Bienal da Universidade de Fortaleza, Ceará. Curadoria: Paulo Herkenhoof e Marcelo Campos.
Todos os Bichos: homenagem a Lygia Clark. Casarão 34, João Pessoa. Curadoria: Robson Xavier.
Lexicon Silenti. Exposição “Cães sem plumas”, Galeria Nara Roesler, São Paulo. Curadoria: Moacir dos Anjos.
Água e cooperação no século XXI. Museu Nacional do Complexo da Republica, Brasilia. Curadoria: Bené Fonteles.
ArtRio – Feira Internacional de Arte. Representado pela Galeria Amarelonegro, mostra Pátrias provisórias, curadoria Marcelo Campos.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Amarelonegro.
LE HORS_LÁ 20 anos de intercâmbio Brasil-França. Usina Cultural. João Pessoa.

2012
In dubio pro reo.
Exposição “Espelho Refletido”
Centro de Arte Hélio Oiticica – Rio de Janeiro.
Intentio animae /
Ita sunt animae. Mosteiro de São Bento -  São Paulo.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Amarelonegro.
Acta est fabula/
Arte Rio. Pier Mauá, Rio de Janeiro.
28/01/79.
Exposição Eu sou o que tu és e tu serás o que eu sou.
Paço das Artes. São Paulo. Curadoria: Josué Mattos.


2011
Jogos de Guerra. Caixa Cultural. Rio de Janeiro. Curadoria: Daniela Name.
Vestígios de Brasilidade. Santander Cultural. Recife. Curadoria: Marcelo Campos.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Millan.
Projeto Ideal. Centro Cultural São Paulo.

2010
Art Basel Miami Beach. Feira de Arte Internacional. Miami, Estados Unidos. Representado pela Galeria Millan.
Paralela 2010. Liceu de Artes e Ofícios. São Paulo. Curadoria: Paulo Reis.
Silêncios e Sussurros. Fundação Vera Chaves Barcellos. Viamão, Rio Grande do Sul. Curadoria: Vera Chaves Barcellos.
Come-in. Museu Oscar Niemeyer. Curitiba. Curadoria: Renate Goldmann.
Art Basel. Feira de Arte Internacional. Basel, Suíça. Representado pela Galeria Millan.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Millan.
Preto no Branco: do Concreto ao Contemporâneo. Galeria Berenice Arvani. São Paulo. Curadoria: Celso Fioravante.
Jogos de Guerra: confrontos e convergências na arte contemporânea brasileira. Galeria Marta Traba, Memorial da América Latina. São Paulo. Curadoria: Daniela Name.

2009
Múltiplos e Pequenos Formatos. Galeria Virgílio. São Paulo.
Linha Orgânica. Galeria Amparo 60.Recife. Curadoria: Ana Maria Maia.
Mind the Brain, an experimental exibition. Palazzo dei Congressi. Pisa, Itália. Curadoria: Elena Agudio.
Sertão Contemporâneo. Caixa Cultural. Salvador. Curadoria: Marcelo Campos.
Alcova. Galeria Laura Marsiaj Arte Contemporânea. Rio de Janeiro. Curadoria: Marcelo Campos.
Saccharum BA. Museu de Arte Moderna da Bahia. Salvador. Curadoria: Alejandra Muñoz.
Las Américas Latinas – Las fatigas del querer. Spazio Oberdan. Milão, Itália. Curadoria: Philippe Daverio, Elena Agudio e Phelippe Blachaert.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Virgílio e pela Galeria Amparo 60.
Memorial Revisitado, 20 Anos. Memorial da América Latina, Galeria Marta Traba. São Paulo. Curadoria: Ângela Barbour e Fernando Calvozo.
Cartas/Trajetos. Usina Cultural Energisa. João Pessoa. Curadoria: Bitu Cassundé.

2008
Figurações sonhos e desejos.Coleção João Sattamini e MAC de Niterói.
Plasmatio (acervo MAC). Museu de Arte Contemporânea, Niterói. Superfícies da Memória.
Nausea (terceira versão). Museu de Arte Contemporânea, USP, São Paulo. Curadoria: Sylvia Werneck.
Diálogo Intercultural. Núcleo de Artes e Cultura da UFRN, Natal. Curadoria: Tereza de Arruda.
Desenho em todos os sentidos. Festival de inverno 2008 – SESC Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis, Rio de Janeiro. Curadoria: Marcelo Campos.
Memória das Artes Visuais na Paraíba – Do Século XIX à Contemporaneidade. Usina Cultural Energisa. João Pessoa. Curadoria: Dyogenes Chaves.
Heteronímia. Museu da América, Madri. Curadoria: Adolfo Montejo Navas.
Sertão Contemporâneo. Caixa Cultural, Rio de Janeiro. Curadoria: Marcelo Campos.
ARCO – Feira de Arte Contemporânea. Representado pela Galeria Virgílio. Madri.
SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo. Pavilhão da Bienal de São Paulo. Representado pela Galeria Amparo 60.
Vervendo-Outras experiências. Galeria Amparo 60. Recife.

2007
1ª Bienal de Arte Contemporânea do Fim do Mundo. Ushuaia, Argentina. Curadoria: Leonor Amarante.
Integração 275. Núcleo de Arte Contemporânea, João Pessoa.
ArteBA, 16 Feria de Arte Contemporâneo. La Rural, Pabellones Amarillo y Rojo, Buenos Aires. Representado pela Galeria Virgílio.

2006
Primeira Pessoa. Instituto Itaú Cultural. São Paulo. Curadoria: Agnaldo Farias, Christine Greiner, Valdy Lopes Júnior.
Desenho Contemporâneo. MCO Arte Contemporânea, Porto, Portugal. Curadoria: Marcelo Campos.
Geração da Virada. Instituto Tomie Othake, São Paulo. Curadoria Agnaldo Farias e Moacir dos Anjos.
Paisagem Bruta. Galeria Virgílio, São Paulo. Curadoria: Luiz Camillo Osório.
5X5, Casa da Ribeira, Natal. Curadoria: Gustavo Wanderley.
Ver=Ler, Galeria da Faculdade de Artes Visuais UFG, Goiânia. Curadoria: Divino Sobral.
ArteBA. 15 Feria de Arte Contemporâneo Buenos Aires.
Matizes Contemporâneos. Espaço Cultural Casa das Onzes Janelas, Belém, Pará. Curadoria: Marisa Mokarzel.
Obras Premiada. Casarão 34, João Pessoa.
Lugar Plano. Espaço Cultural Contemporâneo-ECCO, Brasília. Curadoria: Divino Sobral

2005
Limite como potência. Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro. Curadoria: Paulo Herkenhoff e Luíza Interlengh.
Nanoexposição. Galeria Murilo Castro, Belo Horizonte. Curadoria: Isabel Löfgren, Marco Antonio Portela, Mauro Bandeira e Patrícia Gouvêa
Jogo da Memória. Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro. Curadoria: Franklin Espath Pedroso e Pieter Tjabbes.
Barro de América – 5a Edição/Brasil. Galeria Marta Traba de Arte Latino- Americana, São Paulo. Curadoria: Leonor Amarante e Martín Sánchez.
Visível – Legível, na Galeria de Artes Antônio Sibasolly, Anápolis. Curadoria: Divino Sobral.
Pluralia, tantum. Galeria Marina Potrich em Goiânia.
Umas – Grafias. Galeria Amparo 60, Recife.
Nanoexposição. Galeria Arte em Dobro, Rio de Janeiro.
(NE) fronteiras, fluxos e personas. Festival de Arte de Fortaleza, Centro de Espaço Cultural Banco do Nordeste, Fortaleza.

2004
Br 2004, Galeria Virgílio.
V Bienal Barro de América Roberto Guevara. Centro de Arte de Maracaibo Lía Bermudez, Venezuela. Curadoria: Leonor Amarante e Martín Sánchez.
Narrativas, desenho contemporâneo brasileiro. Centro Cultural São Francisco, João Pessoa.
As Bienais: um olhar sobre a produção brasileira 1951/2002. Galeria Bergamin, São Paulo. Curadoria: Leonor Amarante.
Memórias Heterogêneas. Centro Cultural Oduvaldo Viana Filho, Rio de Janeiro. Curadoria: Marcelo Campos.
Heterodoxia. edição latino-americana. Galeria Marta Traba, Memorial da América Latina, São Paulo. Curadoria: Leonor Amarante.

2003
Heterodoxia. Museu Metropolitano de Arte de Curitiba, Paraná; Galeria da Faculdade de Artes Visuais UFG, Goiânia.
7 Pinturas. Adriana Penteado Arte Contemporânea, São Paulo.
Fragmentos a seu Ímã – Obras Primas do MAB. Espaço Contemporâneo ECCO, Brasília. Curadoria: Adolfo Montejo Navas.
Pele, Alma. Centro Cultural Banco do Brasil, São Paulo. Curadoria: Katia Canton.

2002
Caminhos do Contemporâneo. Paço Imperial. Rio de Janeiro. Curadoria: Moacir dos Anjos, Ricardo Basbaum e Cláudia Saldanha.
Paralela. Galeria Casa Triângulo, São Paulo.
Plasmatio. XXV Bienal Internacional de São Paulo. Curadoria: Agnaldo Farias.
Versteigerung. Freien Akademie für Kunst Berlin. Berlim. Curadoria: Stefan Halbscheffel.
Faxinal das Arte. Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Curitiba. Curadoria: Agnaldo Farias, Christian Viveros Fauné e Fernando Bini.

2001
Palavra-Figura. Paço das Artes, São Paulo. Curadoria: Nancy Betts.
Autoretrato – Espelho de Artista, Centro Cultural FIESP, São Paulo. Curadoria: Katia Canton
I Bienal de Artes do Cariri. Juazeiro do Norte, Curadoria: Dodora Guimarães.
Onde o tempo se bifurca. Centro Cultural São Francisco, João Pessoa. Curadoria: Divino Sobral.
ARCO – Feira Internacional de Arte Contemporânea. Madri.

2000
Projeto Origem. Observatório Cultural Malakoff, Recife. Curadoria Moacir dos Anjos
L’Art dans Le Monde, Pont Alexandre III. Paris.
O Particular, Centro Cultural Cândido Mendes, Rio de Janeiro. Curadoria: Adriana Tabalipa.
XS/XL – Extra-small/Extra-large. Museu Universitário de Arte da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais. Curadoria Nancy Câmara Betts.
Entre Eu e o Mundo…, Centro Cultural São Francisco, João Pessoa. Curadoria: Divino Sobral.
Extremos. Centro Cultural São Francisco, João Pessoa.

1999
Laceratio, II Bienal de Artes Visuais do Mercosul, DPREC, Porto Alegre. Curadoria: Fábio Magalhães e Leonor Amarante
Identidades: Artistas de América Latina y del Caribe. Galerie du Passage du Reux, Paris.
XS/XL – Extra-small/Extra-large. Museu Metropolitano de Arte, Curitiba; Centro Cultural dos Correios, Rio de Janeiro; Galeria Nara Roesler, São Paulo e Galeria Marina Potrich, Goiânia. Curadoria: Nancy Câmara Betts.
1500 via Pedro II – Coletivo. Centro Cultural São Francisco, João Pessoa. Curadoria: Fábio Queiroz.
Fundação Cultural José Lins do Rêgo, João Pessoa.
Nordestes SESC. Pompéia, São Paulo. Curadoria: Moacir dos Anjos.
Entre Eu e o Mundo…, Museu de Arte Contemporânea, Goiânia. Curadoria: Divino Sobral.
Arte Contemporânea da Paraíba. Museu de Arte Assis Chateaubriand, Campina Grande. Curadoria: Wellington Medeiros.
19 Cabeças. Galeria Adriana Penteado Arte Contemporânea, São Paulo.
15 Artistas dos Anos 90. Núcleo de Arte Contemporânea, João Pessoa.
Galeria Funjope. João Pessoa.

1998
Prêmio Brasília de Artes Visuais. Galeria Athos Bulcão, Brasília.
III Bienal Barro de América Roberto Guevara. Centro de Arte de Maracaibo Lía Bermudez, Venezuela; Museu Brasileiro da Escultura, Mube, São Paulo.
Panorama da Arte Brasileira. Museu de Arte Contemporânea, Niterói; Museu de Arte Moderna da Bahia e Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, Recife. Curadoria: Tadeu Chiarelli.
Workshop Pedras de Fogo. Centro de Artes Visuais Tambiá, João Pessoa. Coordenação: Dadi Wirz.
Geração 90 – Trabalhos recentes de artistas do projeto “Antarctica Artes com a Folha”. Galeria Casa Triângulo e Pinacoteca do Estado de São Paulo.
Bienal de América Roberto Guevara. Museu Brasileiro da Escultura, São Paulo. Curadoria: Fábio Magalhães.
Instituto Cultural Brasileiro. Berlim. Curadoria: Sônia Frey.

1997
Heranças Contemporâneas. Museu de Arte Contemporânea, São Paulo. Curadoria: Katia Canton.
Sexta Bienal de Havana. Fortaleza de la Cabaña, Havana, Cuba.
Panorama da Arte Brasileira. Museu de Arte Moderna, São Paulo. Curadoria: Tadeu Chiarelli.
Exposição dos Docente., Quartier 206, Friedrichstadt Passagen, Berlim.
Kunst aus Brasilien, Ausstellungszentrum, Ernst-Moritz-Arndt-Universität, Greifswald, Galeria Barsicow. Alemanha. Curadoria: Sibille Badstubner e Tereza de Arruda.

1996
Antarctica Artes com a Folha. Pavilhão Padre João Manoel. São Paulo. Curadoria Lisete Lagnado e Lorenzo Mammi.
Anos 80: artistas emergentes. Núcleo de Arte Contemporânea, João Pessoa.
Mostra 96. Núcleo de Arte Contemporânea. João Pessoa e Museu Assis Chateaubriand. Campina Grande.
Apocalípse XII, Centro Cultural São Francisco, João Pessoa. Curadoria: Gabriel Bechara.
Visões do Cabo Branco, Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo, João Pessoa. Coordenação: Raul Córdula.
Gerações: Arte do Brasil Contemporâneo. Referência Galeria de Arte, Brasília.

1995
Ecstasy Up. Galpão do Varadouro. João Pessoa.
Visões da Borborema. XX Festival de Inverno. Museu de Arte Assis Chateaubriand. Campina Grande. Organização: Raul Córdula.
Galeria Gamela/Sebrae. João Pessoa.

1994
Centro de Artes Visuais Tambiá, João Pessoa.
Um Olhar Sobre os Trópicos. Projeto cumpliCIDADES. Museu de Teixeira. Vila Nova de Gaia. Portugal.
I Salão MAM – Bahia de Artes Plásticas. Museu de Arte Moderna, Salvador.
Centro de Artes Visuais Tambiá. Exposição inaugural. João Pessoa.

1993
Visualidade Nascente II. Museu de Arte Contemporânea. São Paulo.
Le Hors Là. Núcleo de Arte Contemporânea. João Pessoa e Museu do Estado. Recife.
Workshop de Pintura da School of Visual Arts de Nova York. Escola Massana. Barcelona. Organização: Henry Artis.

1992
II Workshop Berlin/Paraíba. Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo. João Pessoa. Curadoria: Dieter Ruckaberle.
Le Hors Là. Tour du Roi René. Marselha.

1991
Cuba’91. Centro Provincial de Artes Plásticas y Diseño. Havana.
Visualidade Nascente. Museu de Arte Contemporânea. São Paulo.
V Salão Municipal de Artes Pláticas. Prefeitura Municipal de João Pessoa. Núcleo de Arte Contemporânea. João Pessoa.
IV Salão Paranaense. Museu de Arte Contemporânea. Curitiba

1990
II Mostra Arte-Atual Paraibana. Espaço Cultural José Lins do Rêgo. João Pessoa.
Arte Sobre Papel II. Galeria Gamela. João Pessoa.

1989
Tempos e Espaços dos Abismos II. Galeria Metropolitana de Arte Aloísio Magalhães. Recife. Organização: Jomard Muniz de Brito.
Solidariedade. 1ª Exposição Internacional de Arte Postal. Museu de Setúbal. Portugal.
II Salão de Novos Artistas Plásticos da Paraíba. Galeria do Serviço Social do Comércio. João Pessoa.
Salão de Artes Plásticas de Pernambuco. Centro de Convenções de Pernambuco. Olinda.
II Mostra de artes plásticas Marista, Galeria do Colégio Marista Pio X, João Pessoa.
IV Salão de Artes Pláticas. Prefeitura Municipal de João Pessoa. Núcleo de Arte
Contemporânea. João Pessoa.
Agenda de Exposições. Galeria do SESC. João Pessoa. Curadoria: Hermano José.

1988
Natureza é vida. Institutos Paraibanos de Educação. João Pessoa.
Liberality. Bucarest, Romênia. Curadoria: Pantea Rares.

1985
1984 Despuès de 1984. Galeria de La Casa Del Lago. Cidade do México.

1984
Exposicion Internacional Arte-Correo. Centro Cultural Bernadino Rivadavia. Rosário, Argentina. Curadoria: Jorge Orta.


Ir para o topo
Desenvolvido por: Flávio Cordeiro